Primeiras impressões do #tuiteira

@ despretensão é uma dádiva literária. Proponho que essa frase seja dita por ela, a protagonista, em algum lugar do livro numa futura reedição.  Queria colocar essas palavras na boca da tuiteira viciada em tantas coisas, porque para mim elas sintetizam o monólogo polifônico que é narrado em primeiríssima pessoa por @MariaLúcia. Será que ela aparece assim na minha time line?

@ Sobre a forma fragmentada que o diálogo interno toma no romance – a pretensão aqui é por minha conta, não pela quase falta dela no autor-, com a separação de parágrafos marcada pelo síbolodo do @, eu diria que é uma solução sutil que o desdobramento cabe ao leitor fazer. Então eu faço assim o meu:

@  habituado ao Twitter e toda a sua fragmentação sincrônica contida em mensagens que se sobrepõem umas às outras, o leitor percebe ao se projetar na formatação do texto -através da leitura do romance- o quanto a vida del@ pode ser um escorrer para baixo existencial no infinito que é o tuitaço.   Mais uma vez: cabe ao leitor não querer adequar meu despropósito(de crítico) ao mérito (do autor).

@ Então que danem-se as alusões a uma literatura desleixada, típicas da chamada Geração Beat , porque elas não camuflam o novelo próprio que performa bem, a meu ver, as ambivalências positivas e negativas (quase nunca julgadas moralmente na narrativa) da personagem.

@Estou lendo e por essas razões simples já estou gostando. Já valeu os trinta contos. Mas deveria lê-lo depois de umas tragadas de Orloff ou de ter lido uma tirada do Charles Bukovski. Com a vista embaçada poderia ter lido palvras despretenciosas sem dar a atenção séria que sempre dou as coisas lidas. Sem vodka, tendo também eu a concordar com @hapias: “a vida é a espera da morte. Ou do fim de semana. O que chegar primeiro.”  Dizem que o sociólogo vê recorrência em tudo. Quantos fins de semana já vivi?  Mas como não perceber que sem a repetição o novo não exite? Lula Falcão escreveu um pequeno Ereções, ejaculações e exibicionismos da era do Twitter. E @MariaLúcia ele deu a vida virtual para que pudessemos aproveitar da gordura salutar do seu sangue saturado de álcool e outras coisitas más!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s